09 DE DEZEMBRO

|

Informativos por E-mail

PUBLICIDADE

O melhor vaqueiro do Brasil fala sobre fé, conquistas e fase difícil

Publicado em 12 de Dezembro de 2011 por Clara Marinho

Comemorando quase 25 anos de carreira, o baiano de 34 anos, Tarcio Vinicius Alves de Menezes, festeja sua melhor fase no esporte vaquejada. “Esse ano Deus reservou para mim, acredito muito nisso. Conquistei os títulos pelos quais batalhei e ganhei sozinho seis carros”. Em 2011, Neco Menezes deixou todos os rivais para traz na corrida pelo título de Melhor Vaqueiro Profissional do Brasil. O campeão foi para Tabuleiro do Norte-CE jogando pelo tudo ou nada, e deu ouro. Montado no Peligro Verde, Menezes ficou em 2º e 11º lugares na disputa final. No Parque Martins ele conquistou os exatos 25 pontos que precisava para ser campeão, pois o critério de desempate do Ranking Nacional diz que, em caso de empate, o campeão será aquele que tiver maior número de primeiro lugares na temporada. Menezes foi campeão em seis vaquejadas.
 
Por dozes meses, Neco enfrentou competidores de peso, montou o cavalo que mais ganhou prêmios desde a temporada passada, passou por fases difíceis, se fortaleceu e nunca perdeu a esperança de chegar, novamente, ao topo mais alto do pódio. Acreditando na conquista desde o início da contagem de pontos do Ranking Nacional, Menezes, vibrando, declara: - Eu tenho muito o que agradecer a Deus, ele me deu oportunidades incríveis esse ano, nunca me deixou perder a fé mesmo quando passei por fases difíceis.
 
Ídolo de amantes do esporte e muito admirado, principalmente na internet, o baiano disse que, “assim que terminou a disputa, imediatamente, todos já sabiam que eu sou o melhor do ano. Recebi inúmeras ligações de amigos, de gente me parabenizando, pense numa felicidade. Dedico o prêmio Melhores do Ano àqueles que acreditaram em mim, a minha família, em especial ao meu pai, Eguinaldo Menezes, que tá na Bahia torcendo por mim”.
 
A Rivalidade
Há quatro anos Celso Vitório comandava a categoria, sagrando-se como o fenômeno das vaquejadas. Mas, nesta temporada não foi só contra Vitório que Menezes precisou “lutar”. As ameaças também vieram de Romário Rocha e Adjaílson Paiva, que, na última rodada assumiu a liderança, aumentando ainda mais o sabor da vitória. “Eu fico sem palavras para falar sobre tudo que está acontecendo. É muita emoção. Eu vinha liderando o Ranking desde junho e perdi minha posição para Adjaílson na penúltima rodada. Isso foi incrível, tanto para nós competidores como para o público. Mas, Deus me escolheu para ser o melhor de 2011. Eles sentiram o gosto da vitória, mas o sabor Deus reservou para mim”, declarou emocionado Neco.
 
A campanha ‘Special’
Com a humildade de um campeão, Menezes não acredita ser o único responsável por sua excelente campanha. “Em vaquejada quem decide tudo é o cavalo”. E, a parceria que mais deu certo na temporada, sem dúvida, foi especial. Na sela do garanhão com Silver (prata em inglês) no sobrenome, ele fez uma campanha de ouro. Com o animal do Haras BonSucesso, Neco foi seis vezes campeão em vaquejadas Brasil afora.
 
A fase difícil
No “quente” da disputa, Special Silver, lesionado, saiu das pistas de vaquejadas. Daí começou a peregrinação. Neco ficou sem equipe, defendeu o time Porto Brasil e deu de cara com o jejum. Passou um mês sem pontuar enquanto via os adversários crescendo no Ranking Nacional. “Perdi com a separação com o Special Silver AD, passei um tempo sem ganhar nada, admito. Mas nunca desisti, acreditei em mim e me dediquei ao que queria, ser o melhor”, afirmou.
 
A volta por cima
O chefe de equipe Clóvis Paiva almejando o troféu de melhor equipe do ano, trouxe para seu time àquele com melhor desempenho no Ranking Nacional. Com o passe valioso, o número um mudou novamente de time, pela terceira vez no ano. Em novembro, Clóvis Paiva fechou contrato com Neco até o fim da temporada 2012. Com a cavalaria forte da equipe de Ribeirão-PE disponível, Menezes voltou ao eixo. “Me encontrei no grupo e provei que a parceria entre eu e o Peligro Verde (A Streak of Cash x La Valentia) é de sucesso”. Em Tabuleiro, ele preferiu o silêncio e se absteve de declarações, focou na concentração, mas após se tornar o melhor do Brasil declarou: Disputei todas as rodadas da final usando o boné Melhores do Ano que ganhei semana passada, sempre estive confiante. Essa é a segunda vez que Neco Menezes conquista o título de Melhor do Brasil. Na última rodada do Ranking Nacional, ele foi campeão do Circuito Mastruz com Leite e rachou um carro zero, conquistou o título de melhor equipe junto com Fernando Ceres e Alessandro Suassuna conquistando outro carro e rachou também o carro do Circuito Brahma Fresh.