09 DE DEZEMBRO

|

Informativos por E-mail

PUBLICIDADE

ABVAQ segue firme rumo ao regulamento unificado da vaquejada

Publicado em 28 de Agosto de 2014 por Rodrigo Martins

No último dia 23 de Agosto, os principais líderes da vaquejada nacional se reuniram na cidade de Gravatá-PE para debater mais uma vez o destino das regras unificadas do esporte Vaquejada. Representantes dos estados de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará e demais estados, que exercem atividades equestres em grande expressão, apresentaram suas ideias e se mostraram bastante satisfeitos com os resultados do evento.
Durante todo o encontro, o presidente da Associação Brasileira de Vaquejada, Marcos Lima, deixou claro que a união de todos que vivem o esporte será fundamental para os avanços da Vaquejada. Vaqueiros, chefes de equipes, criadores, enfim, todos aqueles que vivem da vaquejada devem concentrar forças para que o esporte equestre mais popular do Brasil se consolide perante todas as formas legais vigentes no país, desde aos responsáveis pelo bem estar dos animais, até a segurança de seus praticantes.
O encontro foi marcado pela criação da comissão técnica de Vaquejada da ABVAQ. Entre  epresentantes de vários estados estava o potiguar Jarbas Braz Junior. Segundo ele, a comissão tem 30 dias para entregar a Associação um regulamento. A base dessas regras segue o que já é praticado pela ABVAQ, através do Circuito Associação dos Vaqueiros Amadores do Rio Grande do Norte, como também pela ABQM, nas provas oficiais da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Quarto de Milha. “ Vamos fazer apenas alguns ajustes, mas a base será a mesma (da ABVAQ e ABQM),” explicou Jarbas Braz.
Outro grande passo da reunião foi o acordo de circuitos e parques filiados a ABVAQ. A partir de 2015, os circuitos e parques deverão repassar para a Associação a taxa de filiação, dos quais os valores ainda serão acordados. Ficou decidido ainda que no próximo ano, as associações regionais filiadas repassarão a simplória quantia de R$ 10 reais por senha.
Em contrapartida, os parques e circuitos estarão acobertados pela Associação Brasileira de Vaquejada, em especial pelo setor Jurídico. Estes valores servirão para o aperfeiçoamento de profissionais de trabalho, para promoção de workshops e demais ações que visam aperfeiçoar a organização de provas de Vaquejada, desde o quesito técnico operacional aos fatores burocráticos, administrativos e jurídicos.
Por fim, Marcos Lima, informou que o curso para juízes de vaquejada será realizado logo em seguida, após a decisão do novo regulamento, que deve acontecer no final do mês de setembro.

Fotos crédito: Leonardo Hammey