09 DE DEZEMBRO

|

Informativos por E-mail

PUBLICIDADE

25 DE OUTUBRO Um dia para ser lembrado e comemorado com entusiasmo

Publicado em 25 de Outubro de 2017 por Genivaldo Lima

Hoje completa um ano da grande manifestação pacífica promovida pela vaqueirama em Brasília na luta pela regulamentação da nossa Vaquejada. Foi bonito de se ver! Foi emocionante e eficiente, aquela prova de força, garra, organização, foco e amor a vaquejada, essa manifestação cultural e desportiva que gera emprego e renda, movendo o agronegócio, principalmente na região Nordeste.

Foi essa manifestação que conseguiu desmistificar a vaquejada diante da sociedade e de algumas autoridades brasileiras que enxergaram a tempo o valor cultural, desportivo e econômico da festa de gado. Foi uma onda gigante que se formou a partir de marolas vindas de cada recanto do Nordeste até envolver o Brasil inteiro e chamar para responsabilidades representantes e praticantes de outros esportes equestres  que entraram na luta e se beneficiaram também com a aprovação da PEC 304, que acrescentou a Constituição Federal um artigo onde esclarece que não são cruéis as práticas desportivas que utilizam animais, como a vaquejada, rodeio e demais esportes equestres, desde que registradas como manifestações culturais e bem de natureza imaterial integrante do patrimônio cultural brasileiro.

Destaque para Associação Brasileira de Vaquejada (ABVAQ) que deu o primeiro passo nessa caminhada vitoriosa e contou com o apoio importante da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Quarto de Milha (ABQM). Foi uma batalha tensa e muito difícil, mas a união mostrou força e aprovamos a PEC 304, de autoria do Senador baiano Otto Alencar. Além das associações já citadas, contamos com o apoio da classe política, jurídica, veterinária, criadora, agropecuária e principalmente da classe vaqueira.

Tá bom? Tá sim senhor! Mas pode ficar melhor, desde que cada um faça a sua parte e entenda que regulamentação não é liberação total. Regulamentação já está dizendo: foi feita para regulamentar e é preciso que regras sejam cumpridas para que a vaquejada siga em frente dentro da lei.

O Regulamento Unificado da Associação Brasileira de Vaquejada é quem rege as provas e é por ele que os promotores de eventos e atletas devem se guiar para evitar punições e até mesmo responderem juridicamente perante o Ministério Público. De acordo com as novas regras, só é Vaquejada Legal aquela que tiver a chancela da ABVAQ, que antes de liberar o documento faz uma minuciosa vistoria no parque, nos protetores de caudas, nos cuidados com a boiada e fiscaliza a prova através do Fiscal de Bem-Estar Animal. Aquela vaquejada que não se enquadra nas regaras ABVAQ é claro que está ilegal.

Para Paulo Fernando Filho (Cuca), presidente da ABVAQ, “hoje é um dia para ser lembrado e que aquela manifestação ordeira e pacífica em favor da regulamentação da vaquejada continue servindo de exemplo no caminhar da nossa luta por uma vaquejada legal, onde o bem-estar animal  e a segurança dos competidores são prioridades. A vaquejada está regulamentada, mas temos que avançar ainda mais e isso só será possível com a conscientização de cada um e a união de todos nós. Viva a Vaquejada,” disse Cuca.

 

Texto: Genivaldo Lima

Foto: arquivo portal