09 DE DEZEMBRO

|

Informativos por E-mail

PUBLICIDADE

Opinião de vaqueiro sobre a nova vaquejada repercute nos bastidores do esporte

Publicado em 25 de Fevereiro de 2014 por Portal Vaquejada

A vaquejada vive um momento de grandes mudanças, principalmente em relação às novas regras. E como toda novidade, necessita de um tempo de adaptação e claro, da participação de todos os envolvidos. A nova vaquejada foi pensada no bem do esporte e sua implantação tem como objetivo a regulamentação, com um regulamento único para as principais corridas.

O vaqueiro Amador Márcio Trovão (Rancho Trovão), paraibano que mora no estado do Acre há dois anos, pensou nas modificações pelas quais o esporte está passando, maturou sua opinião e, pensando no bem comum, emitiu seu entendimento para os amigos, através de rede social. Sua mensagem repercutiu nos bastidores do esporte e segue transcrita, na íntegra.

A vaquejada está passando por um processo de readaptação cultural. Hoje, o que pode parecer injusto, amanhã será normal e justo para todos. Entendam que a regra serve para todos. Logo, se um foi punido pela regra hoje, outro também será amanhã. De modo que um não se beneficia mais que outro. O resultado disso será uma grande redução nas lesões de rabo e uma nova adaptação por parte dos vaqueiros. O modo de correr atual vai ter que mudar. Antes, valorizava-se um animal que torava muito rabo porque não havia regras. E todos nós sempre soubemos que isso não era normal, embora não gostássemos de admitir. No futuro, novas luvas surgirão e outro estilo de corrida será valorizado. Não vai deixar de existir cavalos derrubadores, nem a vaquejada vai perder a graça. Antigamente, no tempo que a vaquejada surgiu, não existia quebra de rabo e os bois eram arrastados pelo rabo até a faixa. A vaquejada era emocionante e atraia muitos adeptos naquele tempo. Os tempos mudaram e foram surgindo cavalos mais fortes e explosivos no esporte. Passaram a ter mais destaque. Como não havia regras, começaram a surgir mais quebras de massaroca e isso foi se tornando normal, quando na  verdade, não o é! A vaquejada vai continuar! Quem vai mudar é o mercado! Agora, a técnica passará a ter prioridade sobre a força. E isso eh a lógica em todo esporte que se preze. Gosto de vaquejada desde criança e corro desde então. Vaquejada pra mim é hobby e cavalo é minha paixão”.